sábado, 2 de abril de 2011


Fortaleza que cresce, semente de pedra. Abrigo de cego que o cerca. Muro de espinhos oculto em perfumadas flores, traiçoeira armadilha para tantos amores. Bem aventurado aquele que salta sobre, que fere as mãos ao atrever-se ao amor, toma a rua caudalosa e afoga-se em paixão.
Unidos por este elo são levados ao sabor da água, sofrendo cada momento, cada abraço, cada beijo, cada sentimento.

O mundo ainda gira, os pássaros anda cantam e voam, as ondas continuam a quebrar...
...apenas por lhe amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget