segunda-feira, 28 de março de 2011

...enquanto não nos espreita





















Ama-me amor, enquanto a lua se esconde,
Antes que surja novamente a nos observar,
Cheia e repleta de desejo a alimentar-se em nosso amor.

Venha amor, aproxime-se de mim,
Deite-se ao meu lado, escuta a batida de meu peito
Que ansioso sente seu cheiro.
Que ansioso observa seus passos.

Permita-me perder meus dedos em teus cabelo e ter seu sabor em meu lábios.
Permita-me trilhar o caminho de seu corpo e enlaçar seu pescoço e sussurrar.
Permita-se deixar-se enlouquecer e afogar nossos desejos...

Aproveitemos enquanto a lua não observa.
Aproveitemos enquanto estamos nos braços um do outro.
Aproveitemos enquanto a manhã desesperada nos espera,
Quando teremos outra lua em outra noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget