quarta-feira, 23 de março de 2011

Sem Você - Poema de Raul Seixas



Jamais estive tão seguro de mim mesmo
quando escolhi a letra certa do grande amor
não é possível que meu coração me engane
o que ele sente é positivamente amor
Into é inveja, fruto vindo de infortúnio
de infelizes que o amor não conheceu
Se Deus quisesse que esse ciúme me deixasse
não teria indicado com um presente seu
Uma paixão pode ser vista pelos olhos
daquele alguém que traz um brilho interior
o nosso amor se corresponde muito atualmente
nós somos surdos para o falso relator
a nossa vida tão completa de harmonia
que não dá margem para o nosso amor morrer
se desse ouvidos olha só a maldade vinha
minha vida ao invés de cheia era vazia sem você


Raul Seixas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget