domingo, 23 de janeiro de 2011

Gozado o jeito que agora me olhas

Parecia que queria arrancar um pedaço de mim

Comer minha carne e sugar meu sangue

Não percebes que assim só feriu meu coração

Fazendo-o sangrar ardentemente

Nesta dor dilacerante que não quer passar

Satisfeito! Pergunto-me.

Agora estou sangrando.

Mas este sangue que escorre por meu dedos

Não é o mesmo sangue que você queria novamente provar.

Sangue raro, sangue único, que você desperdiçou.

Doei o mais profundo do meu intimo

E hoje, estou aqui, agonizando.

Provando uma sensação que é o misto perfeito de alivio e dor

A melhor sensação que você me proporcionou

Uma sensação única que poucos tem a oportunidade de experimentar

Nada poderei mais sentir e você não poderá mais me usar.

MMP

4 comentários:

  1. Muito bonito, de verdade. Parabéns. Te vi no orkut,em uma comunidade e entrei no blog.

    entra no meu blog, também tem uns poemas, uns textos:
    www.filosofiajovem.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. caramba poemas irados esse ai demonstra uma certo sentimento de saudades onde eu mesmo senti quando li o autor realmente passa isso muito bem ,abraços para pessoal do blog bjs MMP

    ResponderExcluir
  4. Na verdade,eu quando li isso morri aqui no meu banquinho, caraca o homem teve a melhor sensação com a morte de mulher ou ele era o Bruno Goleiro presidiário ou o autor quis colocar sacanagem de propósito com uma certa cena de estupro gerando uma frustração. Será que ele comeu a garota? nunca iremos saber ela está morta mas acho que ela deixou de ser aquela menina sim. Quem vai saber? só o autor mesmo ... bjukas MMp

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget