sábado, 22 de janeiro de 2011

Navegar é preciso!


Estava num barquinho de papel no rio da vida a navegar,
Olhava ao redor arvores verde e passarinhos a cantar,
Em um fenômeno lindo e perigoso. O rio se funde ao Mar,
No nada uma tempestade começa formar...

O Mar se agita as ondas quase consegue o barquinho afundar,
Mas o barquinho é forte, mesmo alguns pedaços a se desmanchar,
Deixando um rasto de escritos... Solidão, dor, infelicidade, sofrimento.
Depois de dias e noites longas começa a tempestade a se decipar.

Ao amanhecer está um sol brilhando e o mar calmo agora está,
Em uma linda praia o barquinho de papel foi se atracar.
Um pescador assustado pergunta como o Barquinho suportou aquele horror?
O Passageiro simplesmente falou: Ler o nome do Barquinho... O amor!




Rodrigo Modena

Um comentário:

  1. Realmente, se o amor por aquilo que fazemos ou queremos, for verdadeiro, não há quem nos impeça de atingir nossos objetivos.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget