segunda-feira, 13 de junho de 2011

Carta III


Aqui faleço-me por minha vontade.
Não por meus atos àqueles que sabes,
mas sim por suicídio de minhas palavras.
Àqueles que nunca amaram
Fujam o mal que desconhecem;
Aos corajosos bravos guerreiros,
Estejam cientes do monstro que enfrentam;
Àqueles que cairam no amor
Bem vindos à rua fria ou ao aquecido bosque
Dos quais poucos - muito poucos
Reinou a sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget