terça-feira, 14 de junho de 2011

Carta VI


A unhas pintadas de cetim
Adornado cada dedo com um zelo
O pulso sobre a toalha de carmim.

O enfeite prateado no cabelo
Sua veste escolhida há tanto tempo
O sorriso em seu rosto apagou luminárias
Refletindo-se no pingente adormecido em seu colo.

Sorri como que tem.
Palavras e gestos,
Olhares apenas para seu bem.

Ergue a taça,
Em brinde ao sentimento seu.
Quisera que não fosse um sonho,
Ou um sonho que nunca passou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget