sábado, 18 de junho de 2011

Carta V






















Lembrei de você esta noite.
Quando enumerava as bondades do dia nos dedos.
Ao pensar em você derramei lágrimas no travesseiro
Afogando-o com o pranto.
Sob as cobertas, silenciosa,
No quarto escuro, com a porta fechada,
Onde o único ruído foi o vento.
Sorri com tantas coisas boas...
Chorei com apenas uma tristeza...
Pensei em você essa noite.
Lembranças do que nunca aconteceu.
E preferi que fosse um sonho, não haveria lágrimas...
Porque a verdade é que, em sua liberdade, você não é meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget