segunda-feira, 6 de junho de 2011

Carta I

Incapaz de escrever um poema,
Escorre as palavras pelos meus dedos,
Que aqui registram as marcas de meu peito.
Como entender que é um sol, que é um mar,
Que é calor e que é vida
Para minha alma confusa de tantas certeza,
Para o meu coração, para a minha cabeça?

Incapaz de escrever um poema, ainda que sem rimas
Incapaz de descrever o sentimento
Em palavras de entendimento
Pois o amor, ah este não tem som ou figuras
Para descrever a si mesmo.
Tomo mais um gole de vida,
Pois o fôlego está contigo,
Para que possa suportar por mais um momento
A sua ausência em minha vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget